A 20ª edição dDSCF7032a Copa da República de Xaele qudrez Internacional que reuniu a seleta e privilegiada elite do xadrez do MERCOSUL serviu para vários propósitos – sendo o principal ratificar a grande forma técnica e escrever o nome de Tiago Braz dentre os maiores enxadristas santanenses de todos os tempos e principal referencia deste século 21.

Há muito tempo que ele vem colecionando títulos e recordes – tanto municiais regionais, estaduais e até sul-brasileiro. Sua recente façanha neste ultimo domingo dia 16 quando dos 224 pontos em disputa Tiago conquistou 204. Mas se engana aquele que pensar ter sido isto uma tarefa fácil. Tanto isso é verdade que apenas 15 pontos o separaram do vice-campeão Ignácio Marrero.

Marrero, por sinal, se não fosse por ele – talvez Tiago não tivesse chegado ao título. Acontece que na terceira rodada Tiago teve pela frente ninguém menos do que o mestre cubano Joel Chacon que lhe impôs uma de suas mais inesquecíveis derrotas que o jogou para o meio da tabela. Contudo, no melhor estilo do “aqui se faz, aqui se paga” Chacon jamais irá se esquecer do que aconteceu na mesa um quando, já convencido do título antecipado restando ainda duas rodadas das sete programadas – enfrentou Ignácio Marrero.

Se fosse possível embarcar em uma máquina do tempo e assim voltar para tentar evitar o fiasco – com certeza o cubano não titubearia em modificar o passado. A aula de xadrez que ele levou do representante bajeense foi de cinema. Atraiu a atenção não só de todos os 21 participantes, mas do público em geral e demais acompanhantes que se acotovelavam próximo à mesa para assistirem a história sendo construída. Marrero literalmente arrasou o cubano com direito a uma apresentação de gala.

Com esta vitória estava despontando outro virtual campeão. Inicia a sexta rodada e na mesa principal Ignácio só depende dele. Uma vitória, 50 pontos – praticamente o deixará com a mão no prêmio de campeão. Tudo estava conspirando ao seu favor – mesa um, jogando de brancas e, principalmente – contra um adversário que a vitória era iminente e uma questão de tempo. E foi aqui, no tempo, que Marrero quase foi beneficiado. Enquanto em seu relógio o tempo regressivo marcava cerca de 15 minutos para acabar, Félix Maidana tinha pouco mais de um minuto e meio. Uma diferença estratosférica. Tinha a partida ganha em todos os sentidos, na posição ou no tempo.

Félix estava morto. Nocauteado em pé. Um zumbi. Mas Félix tem a boa e velha garra uruguaia. Lembrou-se de 1950 e – sabe-se lá como, tirou forças de onde já não se imaginava existir, arriscou uma espetacular manobra táctica e logrou o impossível. Não venceu é bem verdade, mas também não perdeu. Quando isso acontece se chama empate. Sim. Félix conseguiu a proeza de – mesmo com toda a desvantagem dar um xeque perpétuo e forçar o empate por repetição de jogada. Invés dos 50 pontos – ambos dividiram 25 para cada um. Mas onde há vida há esperança. Ignácio estaria vivo no torneio e postulante ao título caso ao seu lado Tiago não vencesse. Mas logo viu que seria uma esperança morta, pois Braz estava massacrando Rafael El Hanini e somando 50 pontos.

Última rodada. 60 pontos em disputa. Na mesa um Tiago teria pela frente ninguém menos do que o primeiro do ranking disparado do BFXC, o jaguariense Nairo Prado. DSCF7067Uma parada duríssima. Tiago até então jamais sequer chegara perto de uma vitória nos confrontos anteriores. Sorte de um lado azar de outro. Se Tiago estava diante de seu maior algoz, Ignácio deveria enfrentar seu conterrâneo e não menos rival apesar de amigo – Luciano Godoy que a exemplo de Tiago Godoy s também tinha um histórico favorável nos confrontos contra Marrero.

Ignácio estava mais confiante na derrota de Tiago do que na vitória de Luciano Godoy. Marrero fez seu dever de casa na quinta rodada quando derrotou o mestre cubano, deixou de fazer na rodada seguinte levando o ‘Maracanaço’ de Félix e torcia agora por dois – quiçá até três possibilidades: sua vitória somada à derrota de Tiago ou até mesmo um empate na mesa ao lado lhe garantiria o título. Seu dever ele cumpriu. Venceu Luciano e torcer pelo esperado. Só que nem sempre os desejos são alcançados. Tiago Braz – após muitas tentativas e todas infrutíferas em torneios anteriores conseguiu finalmente quebrar um tabu e finalmente venceu a Nairo Prado. Com isso Marrero se torna o primeiro as ser bi vice-campeão consecutivo (2013/14) das copas da república e Tiago o único a ultrapassar a barreira dos 200 pontos em um torneio de xadrez do Bobby Fischer Xadrez Clube.

Foi um dos eventos republicanos mais equilibrados e competitivos dos últimos anos e com a participação de várias categorias e cidades diferentes. Com destaque para o enxadrista de São Gabriel Etchiel Ribeiro que fez sua estreia nos torneios internos do BFXC juntamente com sua equipe e incrivelmente obteve importantes vitórias que lhe conferiam o 5º lugar. Os seis primeiros receberam supermedalhas de ouro oferecidas pela farmácia Vamari’s e um bônus considerável em dinheiro – entre Reais e Pesos Uruguaios.

Classificação final

Clas.

Nome

Cidade

Pontos

Progressivos

Berger

GP

Tiago Braz

Livramento

204

554.0

24030.00

1000.00

Ignácio Marrero

Bagé

189

534.0

22829.00

950.05

Joel Chacon

Cuba

184

534.0

20048.00

900.10

Nilo Cruxen

São Paulo

164

414.0

16510.00

850.15

Etchiel Ribeiro

São Gabriel

149

424.0

16271.00

800.20

Rafael El Hanini

Livramento

145

410.0

11355.00

750.25

Nairo Prado

Jaguari

134

474.0

16220.00

700.30

Leonardo Araújo

Curitiba

120

350.0

10020.00

650.35

Luciano Godoy

Bagé

114

374.0

12050.00

575.43

10º

Lucas dos Santos

São Gabriel

114

264.0

6602.00

575.43

11º

Félix Maidana

Rivera-Chico

105

360.0

10865.00

500.50

12º

Santiago Maidana

Rivera-Chico

94

304.0

5760.00

450.55

13º

Luís Vicente Maia

Planalto

86

172.0

4260.00

400.60

14º

Oscar Rodriguez

Montevidéu

84

304.0

6320.00

350.65

15º

Anna Paula Oliveira

São Gabriel

83

235.0

3340.00

300.70

16º

João Victor Rocha

São Gabriel

70

290.0

6150.00

225.78

17º

Gustavo Tramutulo

Montevidéu

70

200.0

1030.00

225.78

18º

Ernesto Santos

Rivera

65

175.0

180.00

150.85

19º

Gustavo El Hanini

Livramento

47

197.0

3860.00

100.90

20º

Nayara Natsumi Nagamori

Livramento

44

136.0

120.00

50.95

21º

Facundo Araújo

Rivera

3

15.0

0.00

1.00

Fotos premiação 2ª Copa da República

http://bobbyfischer.com.br/2011/?p=27940

Fotos 2ª Copa da República 1ª parte

http://bobbyfischer.com.br/2011/?p=28018

Fotos 2ª Copa da República 2ª parte

http://bobbyfischer.com.br/2011/?p=28084

Sorry, the comment form is closed at this time.

   

Parceiros

Parceiros




© 2012 Bobby Fischer Xadrez Clube Desenvolvido por PHD Soluções Digitais