encontro de campeões_800x566

O quadro acima bem que poderia estar em exibição em qualquer exposição de artes espalhadas pelo mundo ou servir de moldura de boas vindas em bibliotecas, casas de culturas e principalmente nos clubes de xadrez. A representação em si pode não significar muito, mas o que estes dois personagens tem por detrás de suas respectivas genialidades sintetizam o que há de mal sublime, belo e – porque não dizer a incorporação do fator pelo qual a arte enxadrística pode ser considerada a mais trágica de todas as artes, pois o artista de xadrez depende até certo ponto de um elemento que se acha inteiramente fora do seu controle. Este elemento é o adversário, que por falta de atenção, constantemente ameaça destruir uma construção mental perfeita. Resumindo o que estes dois personagens e campeões de seus respectivos departamentos protagonizaram na noite desta última quarta-feira dia 17 na sala vip cônsul argentino Alfredo Sanchez do Bobby Fischer Xadrez Clube foi de tirar o fôlego. Eles demonstraram que a lógica é uma ciência que se ocupa com as leis do raciocínio, o xadrez é uma arte que reflete o lado lógico do raciocínio numa demonstração concreta, visível.

Frente a frente estavam nada menos do que 11 títulos – sete correspondentes aos campeonatos departamentais vencidos por Diego Pelaez com 2109 de rating e quatro no currículo do representante de Montevidéu Oscar Rodrigues de 2003. Contudo, estes 106 pontos a menos no ranking e quatro títulos a menos em nada intimidou o montevideano – pelo contrário, o estimulou; ainda mais porque teve que comandar as peças negras e jogar praticamente ¾ da partida com um lance atrasado.

No final das quase cinco horas de muita tensão – o fenômeno Diego Pelaez que já estava respirando por aparelhos pedindo que os desligassem – implorando por uma eutanásia, viu suas últimas energias se esvaírem a partir do lance 40 quando levou um xeque tendo já seu Rei perdido no território inimigo sem nenhuma proteção e sendo atacado ferozmente por uma Dama com todos os apoios imagináveis, porém, foi amparada com um peão que estava na casa g6 que Oscar deu números finais a este primeiro confronto entre compatriotas e multicampeãoes em seus respectivos departamentos. Os três últimos lances foram os seguintes: (40)-Dama d5 xeque, Rei g6 (41)-De6 xeque, Rei h7 (42)- Dama h6 mate. Na próxima quarta-feira eles voltarão a se encontrar e a direção do BFXC convida a quem desejar conhecer estes gênios, assistir a segunda partida e receber dicas de como jogar xadrez em alto nível. O Bobby Fischer fica no número 371 da Rua Hugolino Andrade e os mestres começam a chegar a partir das 19h00min.

SAM_9321_800x600SAM_9330_800x600SAM_9331_800x600SAM_9340_800x600SAM_9327_800x600SAM_9328_450x600SAM_9329_450x600SAM_9333_450x600SAM_9334_450x600SAM_9335_450x600SAM_9321_800x600SAM_9322_450x600SAM_9323_450x600SAM_9324_450x600SAM_9325_450x600SAM_9326_450x600

Sorry, the comment form is closed at this time.

   

Parceiros

Parceiros




© 2012 Bobby Fischer Xadrez Clube Desenvolvido por PHD Soluções Digitais